sábado, 10 de setembro de 2011

PALAVRAS NÁUFRAGAS DE SONHOS


   NALDOVELHO

   Este silêncio perverso
   prejudica sensivelmente
   o esforço que faço
   para desenhar teu rosto,
   por fazer-te fria e sombria,
   e ainda que abras a janela,
   a luz que percebo é pouca...
   Manhãs nubladas de outono!

   Esta risada nervosa
   prejudica sensivelmente
   o esforço que faço
   para manter viva a memória,
   na realidade, num mal traçado esboço,
   e ainda que reconstruas o cenário,
   haverá sempre muita névoa nos olhos.
   Tardes chuvosas de maio!

   Estas lágrimas que choro
   prejudicam sensivelmente
   o esforço que faço
   para escrever-te um poema,
   a bem da verdade, 
   palavras náufragas de sonho.
   E ainda que digas te amo!
   haverá sempre a possibilidade do engano.
   Noites frias e insones!

Um comentário:

  1. Lindíssima poesia do outono. querido poeta. Beijos com muito carinho.

    ResponderExcluir