terça-feira, 2 de agosto de 2011

VIVO CULTIVANDO PALAVRAS DENSAS

   NALDOVELHO

   Vivo cultivando palavras densas!
   Vez em quando colho uma e escrevo um poema,
   às vezes, indeciso, colho muitas.
   
   Gosto do som da palavra natureza,
   saudade e sensibilidade são palavras férteis,
   dão crias toda vez que eu as toco.

   Água é uma palavra tão complexa
   que em seu ciclo completo
   é capaz de me fazer renascer.
   
   Eternidade é uma palavra distante,
   por mais que eu tente não consigo entender.
   “Infinitude” então: nem ouso merecer!

   Realidade é uma palavra relativa, verdade também!
   Outro dia colhi a palavra tristeza,
   e cismei de macerá-la à exaustão,
   depois de algum tempo replantei-a no jardim...

   Ontem colhi palavras poemas, enxertadas de beleza.
   Preparei um monte de mudas e plantei-as em xaxins.

   Vivo cultivando palavras densas,
   e por mais que achem estranho
   gosto de viver assim! 

8 comentários:

  1. Olha que linda essa maneira de viver... cultivando palavras densas.
    Não é estranho, ou talvez seja, mas é lindo e deve ser maravilhoso!
    Posso levar seu poema para mim?

    ResponderExcluir
  2. É incrível sua familiaridade com as palavras, e como elas deslizam fácil pela sua poesia!

    ResponderExcluir
  3. NALDOVELHO


    Cultivating words dense live!
    Once in a while I harvest a and write a poem,
    sometimes undecided, reap many.

    Like the sound of the word nature,
    longing and sensibility are fertile words,
    give chicks everytime I the stump.


    Water is a Word so complex
    that in its complete cycle
    is able to make me reborn.

    Eternity is a distant,
    as much as I try I can't understand.
    "Infinity" then: not dare I deserve!


    Reality is a relative Word, truth too!
    Another day I have gleaned the sadness,
    and I meditated of to soften to exhaustion,
    After some time replanted it in the garden ...


    Yesterday I have gleaned words grafted, poems of beauty.
    I prepared a lot of seedlings and planted them all at fibers.


    Live cultivating words dense,
    and as we find it strange
    I like to live like this!

    ResponderExcluir
  4. Queria ser como você,colher tantas palavras densas e saber colocar em seus lugares,dar vida a todas elas,fazer com que todas virem poemas tão belos como os que escreves,parabéns amigo poeta por saber colher palavras densas,abraços.

    ResponderExcluir
  5. Suas palavras colhidas são poemas que se adensam tão fortes e tão belos, que marcam e permanecem, transformam-se em elos que medeiam o sonho e a realidade! Aqui deixo o meu abraço, amigo poeta!

    ResponderExcluir
  6. Amigo Naldo Velho, vc é um feliz cultivador de palavras densas e não ache estranho não, é a sua essência! Continue preparando muitas mudas e nos oferte sempre com toda essa magia da pesia. Sensacional, meu caro amigo poeta! Forte abraço.

    ResponderExcluir
  7. É certo, poeta, por mais densas que sejam as palavras cultivadas, a colheita será sempre um belo poema.

    ResponderExcluir
  8. Continue a cultivá-las com a maestria do Bardo!

    ResponderExcluir