quarta-feira, 31 de agosto de 2011

AO ENTRAR TENHA CUIDADO

   NALDO VELHO

   Na varanda da frente,
   debaixo do capacho,
   na porta de entrada
   as chaves da casa.
   Ao entrar tenha cuidado,
   não me deixe fugir o gato!
   Da última vez
   deu um trabalho danado,
   vadiou por três dias,
   voltou todo machucado,
   por conta das arruaças
   que por aí aprontou.
   Se descuidar, foge outra vez!
   Não se esqueça
   de cuidar das plantas...
   Atenção para não afogá-las!
   se molhar muito apodrecem,
   se não molhar esmaecem...
   É preciso saber o ponto exato,
   são demasiadamente sensíveis,
   qualquer gesto em excesso,
   correm o risco de morrer.

4 comentários:

  1. Gracinha de poesia, Naldo Velho, bom para o domingo, bjs

    ResponderExcluir
  2. É preciso temperança.
    Ótimas palavras reflexivas!
    Bjoks

    ResponderExcluir
  3. Que meigo e lindo poema!Parabéns meu querido amigo!Adoro te ler.

    ResponderExcluir