domingo, 14 de agosto de 2011

ETERNIDADE


   NALDOVELHO

   Não devo permitir o último beijo,
   o último olhar, a última palavra...
   Ainda que a porta se feche,
   ficará o último desejo.

   De ti, nada permitirei que seja adeus,
   tudo há de me pertencer e eternamente,
   meu espírito não mente.
   A prova?
   Haverá sempre mais um poema.

9 comentários:

  1. E que eles se multipliquem sempre!!! Estaremos sempre em provas então. Beijos!

    ResponderExcluir
  2. ETERNITY



    NALDOVELHO


    Shouldn't allow the last Kiss,
    the last look, the last word ...
    Even though the door is shut,
    It will be the last wish.


    It's nothing I will be goodbye,
    all there is of me belong and eternally,
    my mind didn't mind.
    The proof?
    There will always be one more poem.


    Translation into English by Marlene Nass.

    ResponderExcluir
  3. ÉTERNITÉ



    NALDOVELHO


    Ne devrait pas permettre le dernier baiser,
    le dernier regard, le dernier mot...
    Même si la porte est fermée,
    Il sera le dernier vœu.


    Il n'y a rien, je serai au revoir,
    Il y a de m'appartiennent et éternellement,
    mon esprit n'a pas l'esprit.
    La preuve ?
    Il y aura toujours un poème plus.


    Traduit de Français pour Marlene Nass.

    ResponderExcluir
  4. Assim pulsa o coração de um Poeta!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  5. É isso, sempre mais um poema! Assim vivem os poetas....eternamente! Minúsculo, mas cheio de vida poética! Forte abraço, amigo Naldo Velho

    ResponderExcluir
  6. Não devo permitir o último beijo, Fica sempre uma esperança que um dia...quem sabe tudo volte a trás... Muito bonito como sempre.. beijitos

    ResponderExcluir
  7. Belíssimo meu amigo...o amor vai além da morte e nunca haverá o ultimo momento....abreijos

    ResponderExcluir
  8. Lindíssimo amigo....muito amor no seu coração. Beijos!!

    ResponderExcluir