sexta-feira, 5 de agosto de 2011

SE VOCÊ QUISER ENTENDER

   NALDOVELHO 


   Se você quiser entender
   precisa saber das asperezas,
   das sinuosidades e das incertezas;
   precisa saber do veneno
   que escorre no canto dos lábios,
   aprender a naufragar e soçobrar em frangalhos;
   depois, colar pedaço por pedaço
   e mesmo sabedor de que algo está errado,
   prosseguir ainda que não se saiba o porquê!

   Precisa mergulhar inteiramente
   na cilada das possibilidades...
   Precisa saber lidar com lâminas afiadas,
   cortes, hemorragias, fraturas expostas,
   pedaços de você mesmo retalhado em postas,
   precisa aprender a sofrer!

   Se você quiser entender
   precisa saber das sutilezas
   das preciosas diferenças que definem as existências,
   e ao acreditar ser possível o sorriso nos olhos
   perceber que a lágrima fertiliza o caminho
   para o amor que um dia alguém há de colher.

   Romântico não?
   Às vezes até piegas!
   Quem já não foi patético por mal de amor,
   por desencontro ou desencanto,
   ou por não querer por tanta dor sobreviver?

   Mas se você quiser entender
   precisa saber emergir da loucura,
   precisa cultivar sementes de sonhos,
   semeá-las em campos de ternura,
   e acreditar que elas possam frutificar
   muito além de você.

   Se você quiser entender,
   é preciso saber perceber.

9 comentários:

  1. If you want to understand
    need to know the roughness,
    of sinuosidades and uncertainties;
    need to know of the poison
    that drips in the corner of the lips,
    Learn to run aground and collapses in shambles;
    then, paste piece by piece
    and even Knower that something is wrong,
    proceed even without know why!


    Need to fully immerse
    in the snare of the possibilities ...
    Need to know to deal with sharp blades,
    cortes, hemorrhages, exposed fractures,
    pieces of torn apart in put yourself,
    need to learn to suffer!


    If you want to understand
    need to know the subtleties
    of precious differences that define stocks,
    and believe it is possible the smile in the eyes
    realize that tear fertilizes the path
    for the love that one day someone's spoon.


    Romantic huh?
    Sometimes even mushy!
    Who has not already been pathetic by lovesickness,
    by mismatch or disenchantment,
    or by not wanting to by so much pain survive?


    But if you want to understand
    need to know emerge from madness,
    need to cultivate seeds of dreams,
    to sow them fields tenderness,
    and believe that they can produce fruit
    beyond you.


    If you want to understand,
    you need to know to realize.

    ResponderExcluir
  2. É preciso aprender a sofrer... Sim meu caro... Precisamos e como... Grandiosos versos s teus... Leio e releio e eles me são como lâminas ao coração... Cotam, rasgam tudo o que tenho... me deixam em carne viva... Parabéns, mais uma vez e sempre

    ResponderExcluir
  3. Lindoooooooooooo, o poeta sabe sofrer, a poesia é a arte de juntar palavras que formam um jogo lindo de rimas, asas para voar no amar, no sofrer, no querer, no transformar...sua poesia é na veia, Naldo, amo mto tudo isso, abs

    ResponderExcluir
  4. Há que ser forte como o seu poemaço. Difícil comentar quem está além. A gente percebe um pouco, só um pouco. Parabéns intensos.

    ResponderExcluir
  5. Contido e explosivo; febril e aristocrático; rasgado e incólume. Eis o teu poema, meu amigo... És o teu poema, meu amigo.
    Quanta falta da tua conversa...
    Um grande, grande abraço!
    Luiz Olí

    ResponderExcluir
  6. Para que possamos entender torna-se necessário aprender a ver. Não nos ensinam a ver.Por exemplo: quando vc vê uma pedra no caminho, você vê uma pedra no caminho mas, o Drumond viu uma poesia.
    Vendo errado, quando vamos entender as coisas e os fatos?
    Mas o seu texto, amigo, é lindo

    ResponderExcluir