segunda-feira, 25 de agosto de 2014

CANÇÃO MALUCA

    NALDOVELHO

    Eu fiz uma canção maluca
    que fala de ruas em festa,
    de passarinhada em animada conversa,
    de flores germinando no outono,
    de abraçar e conversar com estranhos,
    de dobrar todas as esquinas,
    de abrir todas as cortinas.

    Eu fiz uma canção diferente
    onde eu olho para o passado
    com os olhos do presente
    e nela eu falo de praia deserta,
    de noites de lua inquieta,
    de mar a lapidar o rochedo,
    de vencer todos os meus medos.

    Eu fiz uma canção esperançosa
    onde eu digo que o presente
    é o alicerce do futuro,
    e nela eu falo da magia
    de acreditar que a poesia
    possa construir um novo tempo
    de voar com asas que temos por dentro.

    Eu fiz uma canção
    que não tocou em lugar algum,
    mas se você quiser, é só fechar os olhos
    e acreditar que a palavra do homem
    possa um dia ser palavra de anjo;
    quem sabe a minha canção maluca
    você possa então escutar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário