sábado, 5 de outubro de 2013

UMA PALAVRA DE AMOR - POEMAS DE LUZ E SOMBRAS

   NALDOVELHO

   Não existem estradas
   de se caminhar desatento.
   Toda trajetória tem sua história,
   cada pedaço de chão, suas memórias.
   Só nos resta tentar perceber.

   Não existem pedras
   lapidadas por dentro.
   Todo o diamante translúcido agora,
   já foi opaco num tempo,
   pois qualquer pedra
   tem uma alma por dentro.
   Só nos resta fazer por merecer.

   Não existem terras
   impróprias ao semeio,
   até as áridas e escuras
   fartas de inquietude e loucura,
   um dia serão apropriadas,
   e sementes de sonho
   ali germinarão.
   Pois haverá sempre
   um poema a ser escrito,
   um resgate de um proscrito
   uma pedra a ser polida,
   um caminho de construir.

   Não existem almas
   eternamente perdidas,
   ainda que sejam muitos os abismos,
   haverá sempre ao seu tempo,
   caminhos de ir e de vir.
   E por eles certamente,
   um sorriso amigo,
   um ombro acolhedor 
   uma palavra de amor. 

12 comentários:

  1. Um sorriso amigo,
    um ombro acolhedor
    uma palavra de amor.
    Lindo, mágico, meu amigo poeta Naldo velho.Bravo!

    ResponderExcluir
  2. Querido amigo e poeta de grande sensibilidade! "Uma Palavra De Amor", Para mim, um poema que é poesia pura. Muito lindo! Tocante...

    ResponderExcluir
  3. É muita poesia, é muita emoção, é pura magia. Bom demais ler você, caro poeta, querido amigo. Grande abraço com carinho e admiração.

    ResponderExcluir
  4. Ando envolta na tua magnífica poesia, que me faz feliz de dia e, à noite, me embala...sendo tão bela, os meus sonhos vela.
    Como agradecer tão elevada graça?! Peço a Deus que te guarde, Poeta, pela eternidade!

    ResponderExcluir
  5. Sempre muito bem escrito os seus textos amigo querido Naldo. Parabéns. Feliz semana. Abraços,

    ResponderExcluir
  6. Amor...Amor...Amor...Bela Poesia! Espaço lindo, de emoção pura. Grata.

    ResponderExcluir
  7. UMA POESIA CHEIA DE POSSIBILIDADES E ESPERANÇA....<3

    MAGAL ROCHA!!!!

    ResponderExcluir
  8. Lindo e reflexivo poema!
    Sempre parabéns, Naldo!
    Abraços

    ResponderExcluir