quinta-feira, 21 de março de 2013

NAS PAREDES DAQUELA CASA - POEMAS DE LUZ E SOMBRAS


    NALDOVELHO

    Nas paredes daquela casa
    fervilhava impunemente o silêncio
    e aqueles que ali moravam não conseguiam
    materializar sentimentos.
    Não eram capazes de um gesto
    de ternura ou aborrecimento,
    soturnas e inexpressivas
    apenas observavam
    o caminhar lento do tempo.

   E no quintal, um buraco enorme e lamacento;
   onde eram despejadas todas as horas passadas.
   Nada lhes restava preservado,
   nem por fora nem por dentro.
   No jardim, flores ressequidas e espinhentas.

   Beija-flor volta meia por ali passava
   e observava com tristeza,
   sem conseguir entender o porquê,
   chorava!

4 comentários:

  1. LINDA E TRISTE....<3

    ResponderExcluir
  2. Sem palavras....demais!!!
    com carinho
    heloisa crosio

    ResponderExcluir
  3. Essa magia encantada que mesmo na tristeza a Arte concebe a beleza, você conhece bem. Parabéns, Poeta! Sucesso!

    ResponderExcluir
  4. Me tocou demais, igual à minha casa, minha família, era uma casa assim, ah, Naldo Velho, como vc sabe escrever a vida em poesia!

    ResponderExcluir